Torta trufada de chocolate com frutas vermelhas

11138647_945865948790852_354798407405749873_nE aproveitando os 10 anos de aniversário de casamento (sim, 10!!!), resolví fazer uma torta que é sucesso, sempre.

E já que aqui no Chile a gente consegue encontrar toda a variedade de frutos vermelhos, não pensei duas vezes nela, a famosa torta de chocolate com frutos vermelhos.

Ingredientes:

Massa:

200 g de biscoito amanteigado de chocolate
3 cls de manteiga sem sal derretida
1 cl de água fria

Recheio:

200 g de chocolate ao leite
200 g de chocolate meio-amargo (usei um 60% de cacau)
1 caixinha de creme de leite (usei light, mas não vai fazer a mínima diferença rsss)
2 cls de licor de sua preferência (desta vez usei vodka Absolut Berries)
30 gramas de manteiga sem sal, derretida,
1/2 caixa de morangos lavados.

Cobertura:
Morangos, frambuesas, mirtilos, groselhas
2cls de sopa de geléia de qualquer fruta vermelha

Modus Operandi
Triture os biscoitos em uma processadora ou liquidificador (na processadora fica mais fácil retirar depois), adicione a manteiga e a água até formar uma ‘farofa’ úmida. Forre o fundo e as laterais de uma forma desmontável de 20cm de diâmetro e leve ao forno pré aquecido por 10 minutos. Retire e reserve.

Para o recheio… Derreta todos os ingredientes do recheio (exceto os morangos) em banho maria, mexendo de vez em quando até homogeneizar (também pode usar o microondas, mas eu prefiro o banho para garantir que o chocolate não queime). Deixe esfriar e reserve.
Quando tudo estiver frio, adicione a metade do chocolate e espalhe. coloque cuidadosamente os morangos na forma e em seguida cubra com o restante do chocolate. Leve à geladeira por cerca de duas horas ou mais e, perto da hora de servir, derreta as duas colheres de geléia, espalhe sobre a torta (que deverá estar firme), e decore com as frutas.
Cuidado… é muito adictivo!
=D

Comendo fora em Santiago (parte II, Italianos)

Quem quer comer comida italiana de boa qualidade aqui em Santiago, com certeza não vai morrer de fome.

A cada semana abre um bom restaurante, com uma boa carta e menu de tirar o chapéu.

Aqui, deixo três dicas, para programas distintos, na mesma faixa de preço.

Le Due Torri – Borde Rio, Providencia e Costanera Mall

IMG_0082Dos três, é o mais badalado, em três endereços, sendo que a minha escolha é o do Borde Río. O de Providência é o mais antigo e, o do Shopping Costanera, o menos melhor rsss. Já perdí as contas de quantas vezes fui e sempre, SEMPRE, saí satisfeita com meu prato (sempre escolho algo novo). A especialidade da casa é a enorme seção do menu dedicado às pastas de fabricação própria (o chef fica dentro de um “aquário” recheando raviólis e panzottis e fazendo a alegria da criançada). A carta de vinhos é bem ampla e, todos os garçons estão aptos a harmonizar o seu pedido. Os pratos normalmente são BEM caprichados e, se pedirem entrada, dá para dividir entre duas pessoas, tranquilamente. As sobremesas também são muito boas, mas estas eu não divido! Não dá para recomendar UM prato, mas vou tentar… O  fetuccini blanco y negro com molho de vodka e centolla; Spagheti al fileto (com molho de creme fresco e vinho e tirinhas de carne); Risoto do bosque (com três tipos de cogumelos) ou o filé Due Torri, com molho de blueberries e bacon. Muito, muito bom!

Amicci – Av. Apoquindo, 7741 – Las Condes

10687028_870993726267161_5861385132624415149_nRecém remodelado em Las Condes, esse restaurante vem de uma família tradicional da gastronomia italiana no Chile. Fomos pela primeira vez com uma amiga e crianças e saímos muito, MUITO satisfeitos. Vários ambientes, decoração clean e garçons super atenciosos sempre atentos. Pedimos uma entrada-degustação de presuntos italianos e Grana Padano com mel de humo, maravilhoso. De prato principal, meu marido pediu uma costela ao vinho, com polenta; eu pedi um gnocchi de espinafre com queijo mascarpone, nossa amiga um ravioli de caranguejo com funghi e, um prato de fetuccini al fileto para comprartir entre as crianças. MARAVILHOSO. Mesmo. De sobremesa, pedimos um trio degustação, com Panna Cota, torta mil-folhas de doce de leite e tiramisú. Pergunta se queremos voltar? =)

Emporio Armani Café – Shopping Parque Arauco

armani1Não se deixe enganar pelo nome e localização deste pequeno restaurante/café. Está no chamado Distrito de Luxo do Parque Arauco e é, sem dúvidas, o melhor para um jantar com amigos ou uma parada para uns drinks. Também está na lista dos restaurantes que sempre regresso e nunca me arrependo. Recomendo os risottos (frutos do mar para quem curte as conchinhas, funghi para quem, como eu, não.) e também as pastas com seus molhos super elaborados. Ainda não tive oportunidade de pedir as carnes, mas o que vejo sair da cozinha me deixa com água na boca. Uma outra pedida, aqui, é chegar no fim de tarde, depois de fazer compritchas no shopping, pedir um dos driques a base de champagne, uma cerveja beem gelada (radidade em Santiago) ou apenas um café e relaxar de frente para a praça de alimentação externa do mall.

Em um outro post, vou falar de carne.

Sim, não sou a melhor referência em mariscos, mas tenho algumas dicas também rsss

=)

Momento gula

Domingão de chuva, um tiquinho assim de frio, mutia energia para gastar, zero paciência… o que me resta fazer?

Cozinhar.

Resolvi fazer uma receita de muffin, guardada há um tempão.

P1020787Muffins de baunilha com Nutella

10 colheres de sopa de manteiga (usei margarina e achei que ficou muito gorduroso)
¾ de xícara de açúcar
3 ovos
½ colher de chá de extrato de baunilha
1 ¾ xícara de farinha peneirada
¼ colher de chá de sal
2 colheres de chá de fermento em pó
Nutella, à vontade. Como encontrei o meu pote aberto, usei cerca de 1/2 cl de chá para cada muffin.

Aqueça o forno a temperatura de 180C.

Bata na batedeira a manteiga e o açúcar até ficar cremoso, por uns 2 minutos. Adicione os ovos um a um, depois a baunilha e vá batendo até formar um creme esbranquiçado e fofo.

Junte o sal, a farinha peneirada, fermento e bata mais um pouco até incorporar.

Coloque a massa nas forminhas até ¾ cheia. Depois coloque 1 ½ colher de chá de nutella e, com um palito, misture gentilmente à massa, para dar um efeito mármore.

Leve para o forno por 20 minutos, até dourar ou passar no teste do palito.

Como a massa ficou com um pouco mais de gordura que necessário e, eu não enchi as formas quanto a receita pedia, eles não cresceram muito, infelizmente, mas, o aroma que fica pela casa, é indescritível, trust me! E o sabor…. ai, ai.

😉

Devil's food (cup)cake

p1020080A primeira vez que vi esta receita, foi no programa da Nigella, em que ela fez a versão normal do bolo e colocou uma cobertura de açúcar de confeiteiro com chocolate amargo.

O que se esperar de um bolo que tem a palavra ‘diabo’ no meio?

Com certeza, algo diabolicamente delicioso, ou, como diria aquela música de quando eu era pequena: “tudo que eu gosto é ilegal, é imoral, ou engorda.”, e este muffin aqui, só não é ilegal, pois é imoral de tão gostoso e, sim, não contribui nada à silueta, pois é impossível comer um só.

Os Devil Food Cakes, geralmente levam pouca ou quase nenhuma farinha e têm a consistência tradicionalmente cremosa, diferente dos muffins e cupcakes tradicionais.

Se é fácil fazer?

Dá uma lida e tire as suas conclusões:

Ingredientes (rendem cerca de 12 cupcakes)
– 3 1/2 cls sopa de margarina amolecida
– 1/2 xícara de açúcar mascavo bem apertados  na xícara
– 2 ovos
– 3/4 de farinha de trigo, apertados no fundo da xícara
– 1/2 cl de chá de bicarbonato de sódio (para dar a cor escura ao chocolate)
– 1/4 x de cacau ou chocolate amargo em pó, também bem apertado no fundo da xícara (usei o da garoto, que não tem adição de açúcar)
– 125ml de iogurte natural (a receita pedia sour cream, mas só tinha iogurte em casa)

Opcional: 12 quadradinhos de chocolate (usei uma barra de Alpino que estava de bobeira na geladeira), mas é totalmente opcional – inventei de última hora.

Coloque todos os ingredientes na batedeira e bata até obter um creme espesso, como uma mousse.

Com uma colher, coloque a massa nas forminhas de muffin até mais ou menos a metade. Coloque os quadradinhos de chocolate, e coloque massa o suficiente para cobrir o chocolate. Cuidado para não encher a forma demais, pois o muffin cresce bastante.

Asse em forno pré aquecido a 180°C por 20 minutos, ou até crescerem e ficarem firmes ao toque.

Enquanto os muffins assavam resolvi fazer uma cobertura, afinal, era sexta-feira, havia chegado do escritório cansada e com um desejo descomunal de comer bolo de chocolate (culpa do Café que existe embaixo de meu escritório… caí na bobeira de tomar um café enquanto esperava Amore e a mesa ao lado estava devorando fatias e mais fatias de bolo de chocolate).

Cobertura:
– 125g de cacau em pó ou chocolate amargo (novamente usei o da Garoto)
– 1 xícara de sopa de açúcar de confeiteiro
– 2/3 de  xícara de iogurte natural (usei o que havia sobrado da massa).
Coloque tudo na batedeira e bata em velocidade alta até formar um creme bem brilhoso.

p1020081

Retire os bolinhos do forno, espere esfriar e então confeite. Você pode tanto colocar uma colher de creme em cima do bolo e espalhar com uma espátula passada pela água fria, ou usar um saco de confeiteiro para dar um volume. Como havia comprado um saco ano passado e nunca havia usado, resolvi estrea-lo.

O resultado?

p1020105

Então tá… repare no chocolate do recheio, ainda mole, querendo sair da massa… Indrescritível.

Ah, sim, não deu para tirar foto da Ciça comendo o muffin, ou eu ajudo ou tiro a foto, e não dá para fazer os dois ao mesmo tempo rsss

UPDATE – Bolo de chocolate branco com recheio de berries

Esta receita resolvi fazer para o aniversário de meu tio, domingo passado.

Bolo de Chocolate Branco com recheio de Berries

Massa:
5 ovos
150 g de açucar
150 g de farinha de trigo
75 g de chocolate branco ralado
licor para umedecer (usei Cointreau)

Recheio:
400 g de frutas vermelhas diversas (usei, mirtilo, morango e amoras)
200 g de chantili (usei o da Ecila, muito bom)

Cobertura (ganache de chocolate branco)
300 g de chocolate branco (usei 400)
300 g de creme de leite fresco
4 cls de licor de sua preferência* (usei Cointreau)

Mãos à obra

Untar duas formas redondas de 25cm de raio, com papel manteiga também untado. (É importante para que na hora de desenformar a base fique durinha e sem descascar)

os bolos já assados

os bolos já assados

Bater os ovos e o açúcar na batedeira, até obter um creme esbranquiçado, que caia em piques grossos da pá da batedeira. Peneirar a farinha sob o creme, adicionar o chocolate e misturar tudo com um fouet. Não use a bateteira, para não tirar a textura do creme.

Despejar a massa nas duas formas e assar até que o bolo fique dourado, ou que passe no teste do palito. Se você não tiver duas formas, pode fazer numa de cada vez, sem problema algum, só espere o outro bolo estar pronto e frio para os trabalhos, já que a massa é muito fina.

p1020025

Enquanto o bolo assa, pique os morangos e dê uma ligeira amassada nos demais com um garfo. Faça o chantilly.

Quando os bolos esfriarem, corte-os ao meio com uma faca ou com um ‘garrote’ e começe a montagem. Primeiro, fure cada superfície com um garfo, e pincele com o licor de sua preferência. Usei o Cointreau por ser de frutas. Pincelei todas as 4 superfícies antes de colocar o recheio.

p1020026Divida o recheio em três partes iguais e coloque primeiro o chantilly, depois as frutas, até que a última camada do bolo esteja ok.

Prepare a ganache, de maneira tradicional, e espere esfriar um pouco até começar a cobrir. Dá para ver pela foto que eu ainda tentei cobrir com a ganache ainda morna e com a consistência bem cremosa.

Termine a montagem, deixe o bolo na geladeira por pelo menos 2 horas antes de servir.

O resultado final é um bolo de massa super fina, bem molhadinho e de sabores contrastantes: o docinho da massa de chocolate branco, com o azedinho das frutas vermelhas…. Vai com fé, vale a pena o trabalho.

Finalmente, uma foto do bolo!!!

Finalmente, uma foto do bolo!!!

 

Muffin de queijo e cebola

p1020007Peguei carona no blog da Carol e resolvi fazer muffins salgados, para o final de semana.

Dei uma modificada na receita, mas o resultado ficou muito bom:

Ingredientes:

Primeiro, no bowl da batedeira peneirei e misturei:
300g de farinha de trigo
1 cl de café de sal
1 colher (sopa) de fermento em pó
3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado

Na jarra do mixer misturei os ingredientes líquidos:
2 ovos
250 ml de leite
100 g de manteiga e 1/2 cebola grande dourada na frigideira
Um pouco de pimenta do reino moída na hora

Coloquei essa mistura no refratário com os ingredientes secos e mexi com o fouet.

E adicionei entre 150 e 200g de queijo cheddar ralado na hora. A receita original da Carol indica o Feta. Até pensei em gorgonzola, que tinha em casa, mas optei pelo Cheddar.  Junte o queijo à massa, mexa delicadamente até incorporar o queijo à massa.

Porcione as forminhas até 2/3 de sua capacidade, e leve ao forno pré aquecido a 180° por cerca de 30 minutos ou até dourar. Usei forminhas de silicone, então não precisei unta-las.

Ficaram simplesmente deliociosos, mas, na próxima vez, vou colocar um tiquinho a mais de sal na massa.

Então vamos falar sobre o weekend…

Mas, primeiro o novo layout…

 

É, eu sei, as flores estavam lindas e tal, mas eu não consigo me segurar com algo tão fofinho, tão meiguinho, tão… floral. Eu adoro flores, mas não consigo ficar olhando para a mesma flores todos os dias. :s

 

O weekend foi maravilhoso. Mesmo com o frrrrio, a chuva e um resfriado-mala, não tenho queixas.

 

Na sexta à noite, pegamos a Ciça e ficamos os três brincando, assistindo trechos dos DVDs favoritos da Selêla (U-huuuuuuuuuuu, Spirit faz parte dos favoritos, mesmo com o insuportável do Paulo Ricardo estragando as já não tão maravilhosas músicas do Bryan Adams). Como o DDD da Selêla desapareceu, entrei em pânico, mas conseguimos contornar a situação com o Cacallo, os cachôinhos (a Dama e o Vagabundo), Quiquilicó (Cocoricó) e Bá-ney.

 

Ao final da noite, já dando sinais de cansaço, a Ciça pediu para ir para a cama: Mamãe, quélo dômi. Assim, sem mais nem menos. Ainda perguntei o que ela queria e, com aquele olhar sem paciência que eu já amo, me responde com a cabeça inclinada e mãozinhas abertas: Mamãe, quelo dômi, beçinho

 

E assim foi, trocamos a fralda, escovamos dentes (os três), cheiramos a boquinha dela e a colocamos no berço já nos preparando para a famosa sequência de pedidos, que não veio. 

 

Ficamos alguns minutos esperando ela nos chamar… e nada. Foi meio frio… 

 

Sábado pela manhã, me aventurei com o carro pelo nosso bairro e, para minha surpresa, o medo de dirigir durou apenas alguns poucos quilômetros. Logo eu já estava confiante, sem medo, com coragem até para pegar a minha avó, minha mãe e dar uma volta com elas e a Ciça cantando na cadeirinha. Progresso…

 

Saímos para almoçar super tarde e chegando em casa, embalados por um churrasco e muito frio, tivemos algumas horinhas de sono.

 

À noite, com a bateria da mangueira fazendo a festa em minha cabeça, resolvi apelar para um jantarzinho mexicano home-made: tacos, burritos, sour cream, guacamole e algumas cervezas para descontrair. Depois assistimos a um filme super triste com a Angelina Jolie e, o sono veio que veio. Mais uma vez a Ciça pediu para dômi, sendo que, nas primeiras vezes que entramos no quartinho dela para apagar o abajur, ela estava acordada, com os pés para cima, pensando na vida… vê se pode? 

 

Domingo foi um dia à parte… Também com muita chuva e frio, visita da querida Beagle, muitas brincaderias com a Ciça, comidinha caseira, pão australiano, aconchego, carinho… *suspiros* 

 

O weekend, além de todos estes momentos cozy/comfort/family, teve várias Cecilhices, que eu iria colocar no blog dela, mas estão tão fortes no contexto do weekend, que vão ficar aqui…

 

Sábado de manhã, “arrumando” os DDDs na estante. Ela retirava um título e perguntava: Quiquiéixo? E o Alê respondia com o título do DDD, ao qual ela repetia: Amô cálo (Amor custa caro), Coação vaênti (Coração valente) Fóid (Pink Floyd), Báman, e por aí vai… Lá pelas tantas, ela pegou um outro ddd do Pink Floyd e quando o Alê disse o que era, ela fez uma carinha de contrariada, voltou lááááá atrás e pegou o primeiro ddd do Pink Floyd meio que questionando, como assim, DOIS Fóids??? 

 

Logo em seguida ela vem com três títulos para mim, aponta para as capas e diz ‘fêo’, ‘fêo’ e ‘fêo’… analisando as capas em questão, tenho que admitir, ela tem noção de estética.

 

Mamãe, quélo quejo da pão… (Mamãe, quero queijo no pão).

 

Mamãe, quelo PO-dim e pódinho… (Mamãe, quero pudim e toddynho)

 

Papai e mamãe, dançá!!! – Puxando o pai pelas mãos, se encarapixa no colo dele e me puxa pelo pescoço

 

Acabô a bincadela – quando o pai a mandou juntar os zilhões de lápis espalhados pelo chão.

 

Pála, Cecilia quer fazer tabalho – protestando quando o pai a chamava para brincar, enquanto eu arrumava a mesinha para ela fazer o dever de casa (sic) 

 

 

Enfim, amanhã vou colocar os vídeos dela dançando com sua sombra projetada na parede e contando historinha para mim…

 

Beijos e ótima semana para todos!