Comendo fora em Santiago (parte II, Italianos)

Quem quer comer comida italiana de boa qualidade aqui em Santiago, com certeza não vai morrer de fome.

A cada semana abre um bom restaurante, com uma boa carta e menu de tirar o chapéu.

Aqui, deixo três dicas, para programas distintos, na mesma faixa de preço.

Le Due Torri – Borde Rio, Providencia e Costanera Mall

IMG_0082Dos três, é o mais badalado, em três endereços, sendo que a minha escolha é o do Borde Río. O de Providência é o mais antigo e, o do Shopping Costanera, o menos melhor rsss. Já perdí as contas de quantas vezes fui e sempre, SEMPRE, saí satisfeita com meu prato (sempre escolho algo novo). A especialidade da casa é a enorme seção do menu dedicado às pastas de fabricação própria (o chef fica dentro de um “aquário” recheando raviólis e panzottis e fazendo a alegria da criançada). A carta de vinhos é bem ampla e, todos os garçons estão aptos a harmonizar o seu pedido. Os pratos normalmente são BEM caprichados e, se pedirem entrada, dá para dividir entre duas pessoas, tranquilamente. As sobremesas também são muito boas, mas estas eu não divido! Não dá para recomendar UM prato, mas vou tentar… O  fetuccini blanco y negro com molho de vodka e centolla; Spagheti al fileto (com molho de creme fresco e vinho e tirinhas de carne); Risoto do bosque (com três tipos de cogumelos) ou o filé Due Torri, com molho de blueberries e bacon. Muito, muito bom!

Amicci – Av. Apoquindo, 7741 – Las Condes

10687028_870993726267161_5861385132624415149_nRecém remodelado em Las Condes, esse restaurante vem de uma família tradicional da gastronomia italiana no Chile. Fomos pela primeira vez com uma amiga e crianças e saímos muito, MUITO satisfeitos. Vários ambientes, decoração clean e garçons super atenciosos sempre atentos. Pedimos uma entrada-degustação de presuntos italianos e Grana Padano com mel de humo, maravilhoso. De prato principal, meu marido pediu uma costela ao vinho, com polenta; eu pedi um gnocchi de espinafre com queijo mascarpone, nossa amiga um ravioli de caranguejo com funghi e, um prato de fetuccini al fileto para comprartir entre as crianças. MARAVILHOSO. Mesmo. De sobremesa, pedimos um trio degustação, com Panna Cota, torta mil-folhas de doce de leite e tiramisú. Pergunta se queremos voltar? =)

Emporio Armani Café – Shopping Parque Arauco

armani1Não se deixe enganar pelo nome e localização deste pequeno restaurante/café. Está no chamado Distrito de Luxo do Parque Arauco e é, sem dúvidas, o melhor para um jantar com amigos ou uma parada para uns drinks. Também está na lista dos restaurantes que sempre regresso e nunca me arrependo. Recomendo os risottos (frutos do mar para quem curte as conchinhas, funghi para quem, como eu, não.) e também as pastas com seus molhos super elaborados. Ainda não tive oportunidade de pedir as carnes, mas o que vejo sair da cozinha me deixa com água na boca. Uma outra pedida, aqui, é chegar no fim de tarde, depois de fazer compritchas no shopping, pedir um dos driques a base de champagne, uma cerveja beem gelada (radidade em Santiago) ou apenas um café e relaxar de frente para a praça de alimentação externa do mall.

Em um outro post, vou falar de carne.

Sim, não sou a melhor referência em mariscos, mas tenho algumas dicas também rsss

=)

Anúncios

Hoje foi dia de RISOTTOOOOO!!!

ImageFriozinho, aspargos fresquinhos (mais uma coisa deliciosa do Chile, sempre tem aspargos fresquinhos no mercado. Tanto do branquinho quanto do verde), um pedaço de queijo de cabra “dando mole” na geladeira e… Vamos fazer um risotto?

Risotto de aspargos, queijo de cabra e amêndoas

Para duas pessoas usei:

Duas xícaras de arroz carnaroli
Meio maço de aspargos verdes (cerca de 6 talos inteiros, picados)
150g de queijo de cabra 
1/2 taça de vinho branco
1,5l de caldo de legumes (usei dois cubinhos para 1l de água)
Cebola picadinha à gosto
2 colheres de manteiga
Um punhado de amêndoas laminadas

O modus operandi é o de sempre… 

Enquanto fervia a água para dissolver os cubinhos de caldo de legumes, esquentei a cebola na manteiga até ficar transparente e fritei o arroz carnaroli. Cubri o arroz com o vinho branco e deixei absorver por completo.

Em fogo baixo, aos poucos foi adicionando o caldo, até que cobrisse o arroz e repeti até o arroz começar a soltar amido. Neste ponto adicionei os aspargos e a metade do queijo, cortado em cubinhos.

Mais caldo, até o que o arroz ficasse al dente, adicionei a manteiga, o resto do queijo e dei aquela mexida, para incorporar tudo.

Na hora de servir, adicionei umas amendoas fatiadas que estavam dando sopa e, voilá, ficou bom demais!!!

 

=D

 

Trimestre mais que intenso

Trimeste mais que intenso…

Sabe quando a gente é pequena e alguém diz que “o anjo da boca mole passa e diz amém”?

ImageEntão… a gente nunca sabe quando ele irá passar. E ele passou por aqui no momento que eu disse que tinha certeza que muitas emoções me aguardavam no fim do ano passado e perdurariam até o fim do trimestre. Bem, ao menos é o que espero.

Fomos para o Rio-Cidade-Maravilhosa para o Natal e, deixamos as peludas num hotel para mascotas aqui em Santiago. Qual não foi nossa surpresa quando nos avisaram que a Gigica havia sido ROUBADA!!! Sim, roubada. Muito xoxorô, nosso retorno a Santiago foi terrível e, o Ano Novo também. Ainda tive ânimo para juntar alguns amigos aqui, fazer uma festinha e uma Ceia, mas não foi o que eu esperava para nosso primeiro Reveillon em Santiago. =( Ainda tenho uma esperança de encontrar a Gigi, juro. Mas a cada dia que passa, fica mais e mais difícil acreditar nisso.

Em seguida os meninos vieram pra cá, um de cada vez e, em fevereiro, voltei à equitação, em novo esquema: cavalo exclusivo, aulas intensas e consegui me preparar para o concurso de saltos para até 80cm!!! Participei da prova e me classifiquei para o Concurso de Inverno, mas… desloquei o cotovelo rssss O lado bom (sempre tem um) é que foi o braço esquerdo e, mommy veio pra cá acudir. Apesar do gesso e da dor, passamos uns dias maravilhosos até que mamãe voltou pro Rio e, ficamos sabendo da morte de minha avó.

Aí enfraquece…. Foi um susto. Dos grandes. Uma perda enorme. Sim, passamos seu último Natal juntas, nos divertimos, rimos muito, mas é desconcertante não estar perto da família nessas horas. =(

Image

 

Esta semana recebí a visita da best friend ever, e passamos mais uns dias de alegria, risos, ótimas memórias, Thak you, Beagle, por ter vindo!

Agora a vida volta ao ritmo “normal”…. fisioterapia, Ciça na escola, o frio tá chegando difumforça e vida que segue.

Después eu volto!

 

Bjuns

Sobre mudanças que ocorrem quando se mora fora.

Image

Uma coisa super interessante quando a gente mora fora de nosso país, é o sentimento patriótico que nos acomete. 

Das beeem pequenas coisas (como se emocionar ao escutar Gustavo Limma na aula de aróbica – sim), a ficar ligado na TV e na internet acompanhando notícias sobre a prisão dos mensaleiros, sofrendo com as notícias tristes, e se revoltando com a falta de respeito dos governantes com o povo.

A parte de se emocionar com coisas brazucas é impressionante… Há algumas semanas, começei a malhar, na Prodeportes (secretaria de esportes de meu bairro) e na aula de aeróbica/localizada qual não foi a minha surpresa quando a professora colocou Gustavo Limma na mix de músicas rssss Fiquei atônita. Paralizada. E, descobri que estava com saudades de escutar essas músicas. Depois veio Claudia Leitte e uma outra banda de axé que nunca havia escutado no Brasil. Depois da aula, ao descobrirem que sou brasileira, as “meninas” me cercaram pra perguntar sobre samba, Copa do Mundo e pão de queijo. Nada de feijoada ou churrasco, mas pão de queijo. Depois desobrí que a Starbuck’s vende um pão de queijo muito do mequetrefe, e que eles adoram por aqui.

ImageEm outra situação, fomos à mini feira da Providência (Aqui, organizada pelas embaixadas) e, foi impressionante ver como nós, brasileiros, temos o poder de nos juntar e de levar festa a qualquer lugar… Um pandeiro, um bumbo e já temos uma roda de samba, do nada aparece um berimbau e, quando vemos, já são dezenas de brasileiros juntos, rindo, e dançando. Ou não, apenas curtindo. E, tão legal quanto isso, é ver que a barraca do Brasil era, disparado, a mais cheia… Tanto no artesanato quanto nas comidas. E foi legal demais ver pessoas de diversas nacionalidades perguntando sobre feijoada, caipirinha e coxinha de frango!

Enfim, dá um orgulho tremendo quando somos indentificados como “Brasileños” e as pessoas vêm comentar que AMAM o Brasil e suas prais, que somos um povo super simpático, que adoram a nossa alegria, etc. e talz. Lógico que, para a grande maioria dos Chilenos, Brasil se resume a Camboriú, Floripa, e, no máximo, Búzios. Poucos vão ao Rio e menos ainda, ao Nordeste. Mas ficam super curiosos ao escutar sobre as belezas de nosso país. 

Por outro lado, dá uma revolta incrível acompanhar os casos de corrupção, os escândalos envolvendo políticos ou policiais… E ai de quem nos criticar por isso! rsss

Enfim,  mudando de assunto… Dia 12, passado, completamos 10 anos de namoro. Para quem não queria “nada sério”, até que estamos muito bem, não? Ao contrário do que havíamos planejando, fomos a um restaurante de “turistas”, o Como Água para Chocolate e, adoramos. Ambiente lindo e romântico, comida maravilhosa, excelente carta de vinhos e super bem decorado.

Image

Ontem, reunimos uma galerinha aqui em casa, para uma feijoada. Feijoada chilena, sem calabreza ou paio e costelinha, mas com direito a couve e arroz branco. Ouvimos Lulu, Jota Quest, tomamos capirinha e, foi uma tarde brazuca!

Enfim, ainda não temos 4 meses de Chile e já conseguimos estabelecer nossos círculos de amizade, ritmo de vida e, podemos dizer, com certeza, que estamos super bem.

Outro dia, converso sobre os Chilenos, sua relação com dinheiro, filhos e machismo…

Inté!

😉 

 

 

 

 

Kidzania

Minha camerawoman

Minha camerawoman

Fomos hoje, de improviso,  a Kidzania. Explicar o que é esse lugar merece um post a parte,  então, pra resumir, é um parque no qual as criancas tem “emprego”, ganham seu próprio dinheiro e, com ele, fazem compras e participam de oficinas super legais. Dentre as muitas oficinas, temos: Chocolateur (da Nestlé), Pizzaiolo da Pizza Hut, fábrica de sorvetes, engarrafador de coca-cola, suco, iogurte, fábrica de marshmallows, fábrica de saladas de frutas, confecção de subs, de sashimi, pães especiais, enfim, pensou numa workshop, tem. E em todas, você leva seu “produto” pra casa, ou come lá mesmo rsss

É programa pro dia inteiro, mas como fomos de improviso, “só” ficamos 3 horas rssss O Parque funciona em dois turnos de 5 horas: das 10 às 15 e das 16 às 21h, Chegamos pouco depois de meio dia e só saímos meio que expulsas! 😉

E assim mesmo porque a última atividade que a Ciça escolheu, manicure, já estava vazia quando chegamos…

Ah, sim, as crianças também podem abrir uma “conta” no Banco de Chile, depositar suas notinhas de Kidspesos e, ganham um cartão magnético para sacar em outro dia! =D

Bombeira!

Ciça aprendendo sobre as atividades dos bombeiros ,

Chegamos ao Parque, já ficamos maravilhados com a estrutura, no subsolo do Parque Araucano, muuuito grande. Pegamos nossos bilhetes (idênticos aos bilhetes da LAN) e lá fomos nós. De cara, a Cica resolveu participar de um programa jornalistico e foi trabalhar como camerawoman num estudio de TV. Depois, enquanto ela esperava para a conhecer o ofício de veterinária, demos uma volta pelo segundo piso do parque e ela, empolgada participou das oficinas de chocolate (patrocinada pela Nestlé),  coca-cola, marshmallows (da Arcor) até que finalmente a fila para a clínica veterinária estava pequena e lá fomos nós.

Depois, pausa para tomar um suco e, lá fomos nós para a oficina dos bombeiros. Primeiro as crianças assistem a um vídeo sobre a profissão, requerimentos, materiais de segurança e equipamentos. Depois, a ação! Eles se vestem com casaca à prova de fogo, capacete e… atendem a um chamado de emergência. Sobrem num mini carro de bombeiros e lá se vão atrás do fictício incêndio. No caminho, um gatinho está preso em cima de uma árvore e o caminhão faz um pit-stop para resgatá-lo. Quem participa do resgate, não vai para o incêndio: um “hotel” com luzes simulando o fogo e, água de verdade, em mini-mangueiras de incêndio! E, enquanto elas estão apagando o fogo, mais sirenes e… lá vem a ambulância buscar os feridos! Sim, também há um mini-hospital, no qual as crianças têm três opções: cirurgia, obstetrícia e, emergência. Olha, só indo pra lá para entender como o negócio é maneiro!

Saímos da Oficina dos Bombeiros e, como ainda tínhamos alguns minutos antes do parque fechar, descobrimos:  rádio, mágica, teatro (com oficina de atores), caixa de supermercado, fotografia, jornalismo, frentista, seguradora, correios, motorista, empilhador e até um segurança do trabalho. Em todas as atividades, as crianças ganham seu salário, para poder ir às workshops e fazer lanches.

É muita coisa, um dia só não é suficiente, de jeito algum. É programa para voltar várias vezes. Abrir a conta do Banco, e disfrutar.

Ah, os pais só participam das atividades com as crianças menores de 3 anos…. Os demais, ficam do lado de fora observando, ou ficam num dos muitos restaurantes e bares disponíveis (com lanches preparados e servidos pelas crianças, claro!)

Marshmallows!!!

Marshmallows!!!

Imperdible!