Sobre mudanças que ocorrem quando se mora fora.

Image

Uma coisa super interessante quando a gente mora fora de nosso país, é o sentimento patriótico que nos acomete. 

Das beeem pequenas coisas (como se emocionar ao escutar Gustavo Limma na aula de aróbica – sim), a ficar ligado na TV e na internet acompanhando notícias sobre a prisão dos mensaleiros, sofrendo com as notícias tristes, e se revoltando com a falta de respeito dos governantes com o povo.

A parte de se emocionar com coisas brazucas é impressionante… Há algumas semanas, começei a malhar, na Prodeportes (secretaria de esportes de meu bairro) e na aula de aeróbica/localizada qual não foi a minha surpresa quando a professora colocou Gustavo Limma na mix de músicas rssss Fiquei atônita. Paralizada. E, descobri que estava com saudades de escutar essas músicas. Depois veio Claudia Leitte e uma outra banda de axé que nunca havia escutado no Brasil. Depois da aula, ao descobrirem que sou brasileira, as “meninas” me cercaram pra perguntar sobre samba, Copa do Mundo e pão de queijo. Nada de feijoada ou churrasco, mas pão de queijo. Depois desobrí que a Starbuck’s vende um pão de queijo muito do mequetrefe, e que eles adoram por aqui.

ImageEm outra situação, fomos à mini feira da Providência (Aqui, organizada pelas embaixadas) e, foi impressionante ver como nós, brasileiros, temos o poder de nos juntar e de levar festa a qualquer lugar… Um pandeiro, um bumbo e já temos uma roda de samba, do nada aparece um berimbau e, quando vemos, já são dezenas de brasileiros juntos, rindo, e dançando. Ou não, apenas curtindo. E, tão legal quanto isso, é ver que a barraca do Brasil era, disparado, a mais cheia… Tanto no artesanato quanto nas comidas. E foi legal demais ver pessoas de diversas nacionalidades perguntando sobre feijoada, caipirinha e coxinha de frango!

Enfim, dá um orgulho tremendo quando somos indentificados como “Brasileños” e as pessoas vêm comentar que AMAM o Brasil e suas prais, que somos um povo super simpático, que adoram a nossa alegria, etc. e talz. Lógico que, para a grande maioria dos Chilenos, Brasil se resume a Camboriú, Floripa, e, no máximo, Búzios. Poucos vão ao Rio e menos ainda, ao Nordeste. Mas ficam super curiosos ao escutar sobre as belezas de nosso país. 

Por outro lado, dá uma revolta incrível acompanhar os casos de corrupção, os escândalos envolvendo políticos ou policiais… E ai de quem nos criticar por isso! rsss

Enfim,  mudando de assunto… Dia 12, passado, completamos 10 anos de namoro. Para quem não queria “nada sério”, até que estamos muito bem, não? Ao contrário do que havíamos planejando, fomos a um restaurante de “turistas”, o Como Água para Chocolate e, adoramos. Ambiente lindo e romântico, comida maravilhosa, excelente carta de vinhos e super bem decorado.

Image

Ontem, reunimos uma galerinha aqui em casa, para uma feijoada. Feijoada chilena, sem calabreza ou paio e costelinha, mas com direito a couve e arroz branco. Ouvimos Lulu, Jota Quest, tomamos capirinha e, foi uma tarde brazuca!

Enfim, ainda não temos 4 meses de Chile e já conseguimos estabelecer nossos círculos de amizade, ritmo de vida e, podemos dizer, com certeza, que estamos super bem.

Outro dia, converso sobre os Chilenos, sua relação com dinheiro, filhos e machismo…

Inté!

😉 

 

 

 

 

Anúncios