Embromation

Se existe a arte de embromar, a Ciça é uma mestra.

Sério. É embromação para arrumar os brinquedos, tomar banho, sair da banheira, se vestir, e, principalmente, dormir.

Não importa o tamanho do sono, a hora de dormir quase sempre é tenebrosa quando chega a hora de ir para a cama, e ela não está afim. Não importa se está caindo de sono, note bem, ela simplesmente inventa mil e uma maneiras de embromar.

Dia desses, Amore deitou-se com ela na cama, no ritualzinho fofo que eles criaram, dela soltar um bafinho de pasta-de-dente e ele dizer que está longe. Ela se aproxima, solta outro bafinho, ele diz que ela está longe até chegar perto o suficiente para dar mil beijos e colocá-la na cama. Lá pelas tantas, com as luzes já apagadas, ela solta essa:

– Papai, quando fecho os olhinhos eu vejo um monstro!!!
– Não Ciça, eu vou mandar o monstro embora! PUF, ele já foi, pode fechar os olhos e você só vai ver eu, mamãe e os anjinhs.
.

.

.

– Pai, e a vovó?
– E o vovô também?
– E o tio Marcos?
– E o Bruno e o Lucas também?

– Ciçaaaaaaa, todo mundo, dormir, agora!
.

.

.

– Pai, eu estou vendo uma zebrinha correndo!!!

– Ciçaaaaaa

– Eu quero que a mamãe venha contar uma história para mim!!!

(Lá vai a mamãe contar história. Conhecendo o embromation, escolho uma curta, Rapunzel, versão vapt-vupt).
– Mamãe, você pulou a parte em que a bruxa faz isso.
– Ah tá desculpa, então a bruxa fez isso

– Mamãe, você esquceu a parte em que o Príncipe mata a bruxa feia e malvada.
– Verdade, o Príncipe então, matou a bruxa feia e malvada.

– Mamãe?

– O QUÊ, CECÍLIA…

– Pede para o papai contar uma história para mim?

(Lá volta o papai, munido de muita paciência)

– Vou contar a história do Dumbo.

Minutos depois:

– Pai, esta história não valeu, foi muito curta!!!

Se deixar, ela é capaz de virar a noite tentando nos convencer a espantar o sono…

😉