Sobre os presentes de Natal (1)

Coloquei o “1” ali em cima pois tenho certeza absouta que o tema ainda vai render até o dia 24.

Algumas semanas atrás, indo com a Ciça para uma fazendinha que ela adora, paramos em um sinal vermelho e um menininho vendendo balas (ou mendigando, não lembro ao certo) se aproximou de nosso carro. Não compramos os doces, mas a Ciça começou as perguntas: quem é ele, o que fazia ali. Respondi que ele era um menininho pobre, que não tinha brinquedos, nem quartinho lindo, então estava ali vendendo doces ou pedindo dinheirinho.

Ela ficou quieta um tempinho, absorvendo o que eu havia dito e, passou um tempo, falou:

“Mamãe, tadinho do menininho, ele não tem mamãe, papai, quartinho, brinquedo, casinha… eu vou comprar uma casinha para ele com os meus dinheirinhos, tá bom?”

Falei com ela que quando ela crescesse seria legal ajudar as pessoas e, após alguns comentários o assunto ficou por aí.

Há alguns dias, quando começaram as muitas propagandas de brinquedo na tv, já almejando o Natal, ela foi picada pelo bichinho do consumismo, pedindo 90% do que via na tv. Após alguns dias, falei com ela que ela já estava com muitos brinquedos em casa e seria legal darmos alguns para as criançinhas pobres que não têm nada. Na hora ela topou e, aos poucos começei a fazer notas mentais do que seria doado.

Finalmente, domingo passado conseguimos juntar vários brinquedinhos com os quais ela não brinca mais e os coloquei numa sacola para futura doação e hoje, pedi ao Alê para levar a sacola para seu trabalho, onde tem um posto de doação.

Para o meu total espanto, a  Ciça deu uma olhadinha nos brinquedos dentro da sacola, correu para o quartinho dela, e veio com um cavalinho (um dos favoritos, diga-se de passagem) para colocar na sacola, dizendo que ele já estava velhinho e que ela tinha cavalos mais novos.

Fiquei com um nó na garganta, mas depois, fiquei muito, muito ogrulhosa ao constatar que, pelo menos no sentido da caridade, estamos fazendo um bom trabalho.

Hoje é a festa de encerramento de atividades da escolinha e, a Ciça se apresentará na turminha do balé, e depois a turminha dela irá cantar uma musica de Natal, com coreografia e tudo. Nota mental, passar na farmácia e comprar umas caixas de lenço de papel…

Beijos e ótima semana!

Sim….

tvs8753_xl

Por incrível que pareça, isto é um cookie….

Fiquei doida quando entrei no site da Martha Stewart à procura de inspiração Natalina e dei de cara com estes cookies.

Até dei uma fuçada na receita (facílima), mas a ‘montagem’ é complicada e, sinceramente, não vai rolar.

Aí, fuçando mais um pouco, encontrei essas idéias de decoração, teoricamente simples de fazer, lindas e baratas:

Guirlanda feita de balas e M&M's

Guirlanda feita de balas e M&M's

Guirlanda de pipoca!

Guirlanda de pipoca!

Guirlanda de  botões.

Guirlanda de botões.

Não tem como não se inspirar, né não?

E já que estamos em clima de Natal…

Ciça explicando tim-tim por tim-tim o que ela quer de Natal em troca da primeira chupeta

Ciça explicando tim-tim por tim-tim o que ela quer de Natal em troca da primeira chupeta

Negócio fechado!

Negócio fechado!

Ontem fui fazer as unhas e aproveitei para deixar a Ciça brincando em seu parquinho favorito por um tempinho.

Ao saírmos, já escuro, ela viu as luzes de Natal na fachada do shopping, um trenó com suas renas piscando e ela me vem com essa:

“Mãe, olha só quantos bambis puxando a carroça do Papai Noel!”
– Não são Bambis, filha, são renas
– Não, não são renas. Renas são enoooormes e têm chifres bem grandões!

Ao chgar no prédio de minha mãe, completamente ornamentado, ela começou uma série interminável de elogios às luzes, piscas, bolas e enfeites que fiquei até com vergonha de não ter colocado nada em casa, ainda.

Já prometi a mim mesma que sábado pela manhã vou dar um pulo no comércio aqui de perto, para comprar “lampadinhas” e uns enfeites para a nossa casinha.

Beijos, folks!